18-10-2017

Gastronomia e Vinhos


 

 

 

Falamos em Lafões e lembramo-nos, antes de mais, da vitela à Lafões, esta vitela, justamente famosa, é bicho que se quer alimentado com produtos naturais desde a nascença, que nunca viu jugo e que morre cedo. A carne, rosada, é suculenta e tenra e, para nos levar ao sétimo céu da sapidez, mais não precisa do que ser bem cortada, temperada com sal grosso e ser grelhada sobre brasas serenas. Há-de ficar acerejada por fora e rósea por dentro. Mas a vitela à moda de Lafões pode também ser assada no forno, com temperos mínimos.


À Lafões é também um arroz de pato, no qual a ave vai ao forno, depois de ser cozida em água com salpicão e presunto, mais umas cenouras, nabos e cravinho, entre outros temperos. E um anho recheado e assado no forno. O recheio guisado, além dos miúdos do bicho picadinhos, leva presunto, salpicão, ovo cozido, azeitonas pretas descaroçadas, alho, cebola, azeite, tem a particularidade de ser ligado com farinha de pau. É um cozinhado e tanto, que os restaurantes, mesmo os da região, não se abalançam a fazer.


Também os Rojões à moda de S. Pedro, o Arroz de Vinha d’Alhos, o Arroz de Carqueja; o bacalhau com Broa e a Sopa de feijão com couve à Lafonense são pratos muito apreciados. Os enchidos também se recomendam…
Regam-se estes banquetes com um branco de Lafões, um vinho de transição entre os verdes e os maduros do Dão. Com menos acidez do que os verdes, os vinhos de Lafões são igualmente muito frescos, mas mais frutados e encorpados. Andam, infelizmente, um tanto esquecidos, quer pelos consumidores, quer pelos produtores. Valia a pena fazer um esforço pela melhoria da respectiva qualidade média.


Os vinhos do Dão/Lafões acompanham bem qualquer refeição.
A oferta a nível de restaurantes e adegas típicas é variada e rica, com pratos característicos da região confeccionados no momento.

 

Doçaria:
Quanto a doces, a variedade é tanta que o difícil é mesmo escolher. Mesmo assim, vale a pena provar o delicioso Pão de Ló de Sul, o Folar da zona, os Caladinhos, os Vouguinhas e as tigelinhas de Lafões. De Vouzela temos os pastéis, cavacas e queijadas.

 
RESTAURANTES RECOMENDADOS NA REGIÃO DE LAFÕES:


Oliveira de Frades:

Restaurante O Solar
Restaurante O Pelicano
Restaurante Esplanada O Retiro Dom Alves
Restaurante Luciana


S. Pedro do Sul:

Restaurante S. José
Restaurante S. Tiago
Restaurante O Camponês
Restaurante Marisqueira Del’Rei
Restaurante Laranjeira

Vouzela:
Restaurante Quinta da Cavada
Restaurante Taberna do Lavrador
Restaurante Regalinho
Restaurante O Meu Menino
Restaurante Forno do Rei


 

Vinhos de Lafões:

Região que possui uma tipicidade própria que lhe é conferida pelos aspectos geográficos, climáticos e humanos. O seu nome deriva da expressão "Alafões" trazida pela ocupação árabe na zona e que significa "dois irmãos", devido aos dois montes a que hoje chamamos Castelo e Lafões.
As vinhas plantadas em socalcos, em pequenas ou médias explorações, são extremes, contínuas, com o 1º. arame a 80 cm do solo.
A área geográfica correspondente à Indicação de Proveniência Regulamentada "Lafões" situa-se ao longo do Vale do Vouga, abrangendo os concelhos de Oliveira de Frades, São Pedro do Sul e Vouzela.

Vinhos Brancos:
Vinhos com elevada acidez fixa e com largo poder de envelhecimento

Vinhos Tintos:
São vinhos "sui generis", pouco alcoólicos, frutados, ricos em acidez málica, com "agulha", em tudo semelhantes ao Vinho Verde.

 

Algumas Receitas

1 - Vitela Assada à Moda de Lafões

Ingredientes (Para 4 pessoas)
800 g de alcatra de vitela ; sal grosso ;
Passa-se a carne por água sem a lavar e rola-se em sal grosso. A carne é molhada apenas para permitir a aderência do sal. Enfia-se a carne num espeto de ferro e assa-se em lume de brasas, rodando o espeto suavemente mas sem parar. Quando a carne estiver bem loura e por igual, retira-se imediatamente para evitar que seque e coloca-se na travessa de serviço. Abafa-se a carne com uma tigela para largar o molho. Acompanha-se com batatas fritas ou cozidas e rodelas de cebola crua.
Variante: Prepara-se a carne como se disse acima, mas, à medida que se vai rodando o espeto, molha-se um ramo de salsa em vinho branco com o qual se vai salpicando a carne.

(Acompanhe com Dão Quinta da Murqueira tinto Regional Beiras 2000)


 

2- Arroz de Pato à Lafões

Ingredientes (6 pessoas)

    1 pato; 250 g presunto; 1 chouriço ou 1 salpicão; 250 g carne vaca de cozer;  3 cenouras; 2 nabos; 1 couve penca; 300 g de feijão verde; 1 cebola; 1 colher de sopa de azeite; 2 cravinhos; 500 g de arroz

Mata-se o pato dando-lhe um golpe profundo no pescoço e recolhe-se o sangue para um recipiente onde já se deitou cerca de 0,5 dl de vinagre. Mexe-se até o sangue arrefecer. Esta operação tem como finalidade manter o sangue líquido.
Depena-se o pato em seco, pelo que se deve operar enquanto a ave se encontra quente. Embora para esta receita não seja grave que a pele se rompa, recomenda-se que as penas sejam puxadas no sentido da implementação das mesmas. Se o pato, entretanto, arrefecer, escalda-se rapidamente com água a ferver e depena-se. Os cânulos mais difíceis de retirar puxam-se com a ajuda de uma pinça.
Coze-se o pato em água com o presunto, um chouriço (ou o salpicão) e a carne de vaca. Com uma escumadeira limpa-se a espuma escura que vem à superfície e quando as carnes estiverem cozidas cozem-se na mesma água os legumes citados, excepto a cebola.
Prepara-se a calda para o arroz fazendo um refogado com a cebola picada e o azeite e rega-se com o caldo que resultou da cozedura das carnes e dos legumes e ao qual se juntaram os cravinhos. Como o arroz não deve ficar muito enxuto, recomenda-se que a quantidade de água seja duas vezes e meia o volume do arroz.
Junta-se o arroz bem lavado e enxuto e deixa-se cozer, tendo o cuidado de o deixar um pouco rijo e húmido.
Num recipiente que possa ir ao forno e à mesa deita-se metade da porção do arroz e espalha-se por cima o pato desossado e em bocados, o chouriço (ou o salpicão) cortado em rodelas, o presunto, as hortaliças e a carne de vaca em bocados. Cobre-se com o restante arroz e leva-se ao forno a alourar.

Se necessário, para evitar que o arroz fique muito seco, antes de se introduzir no forno, rega-se o arroz com um pouco do caldo de cozer as carnes.


 

3- Bacalhau à Lafões (à posta)

Ingredientes (4 pessoas)

    4 postas de bacalhau (bem demolhadas); Farinha, ovo batido e pão ralado q.b., para panar;  2 dentes de alho e uma cebola; 1 dl de azeite e  1 kg de batatinhas pequenas; 1 ovo cozido; 1 raminho de salsa; Azeitonas pretas q.b.
Mergulhe o bacalhau em água a ferver, durante cerca de meio minuto, retire-o e ponha-o um alguidar com água fria. Com muito cuidado retire-lhe as espinhas principais e a pele (deixando a posta inteira).
Enxugue-o bem e passe as postas, sucessivamente, por farinha, ovo batido e pão ralado.
Deite o azeite num tabuleiro ou assadeira, junte ao alhos esmagados e a cebola às rodelas e sobre estes coloque as postas de bacalhau. Descasque as batatinhas, aloure-as em óleo ou azeite, até que fiquem meio cozidas, escorra-as e tempere com sal e pimenta. Coloque-as também no tabuleiro, em volta do bacalhau.
Leve a forno, bem quente, cerca de 45 minutos. Regue de vez em quando com o próprio azeite.
Depois de pronto coloque sobre cada posta de bacalhau uma rodela de ovo cozido, azeitonas e raminhos de salsa.
Dica: Em vez de batatas alouradas, pode servir com puré de batata.