18-10-2017

FMI : Portugal na lista dos crescem menos




Portugal e Itália têm sistemas bancários vulneráveis. O Crescimento na zona euro melhora, mas continua em desaceleração. Portugal continua na lista dos que crescem menos.

No relatório Perspectivas da Economia Mundial, divulgado nesta terça-feira em Washington, para Portugal o FMI mantêm que espera que a economia cresça 1% neste ano e 1,1% no próximo.

A confirmarem-se as previsões do FMI, 2017 será o oitavo ano consecutivo com o PIB de Portugal a crescer abaixo da média dos países do euro.

Portugal continua na lista dos que crescem menos. As estimativas do FMI apontam para que em 2017 só um país da Zona Euro cresce menos do que Portugal: o PIB de Itália deverá crescer 0,9%. A Finlândia e o Reino Unido também deverão crescer 1,1% no próximo ano. Todos os outros deverão apresentar um desempenho superior.

Nas estimativas para este ano (2016), haverá mais países do euro com crescimento abaixo de Portugal: Grécia +0,1%, Itália +0,8% e Finlândia +0,9%.

O FMI aponta para um crescimento de 1% em 2016 e de 1,1% em 2017, muito longe das expectativas ainda altas do Governo e dos níveis necessários para sustentar a recuperação económica pretendida.

Os números do desemprego deverão registar uma evolução mais favorável do que o previsto e a barreira dos 11% deverá ser quebrada já no próximo ano, diz ainda o FMI sobre Portugal.

Na actualização do Global Economic Outlook, a entidade liderada por Christine Lagarde reviu em baixa as previsões da taxa de desemprego em Portugal para 11,2% no final deste ano e 10,7% no próximo, números que ainda assim não deverão ter um impacto significativo na produção.

Estas projecções da instituição liderada por Christine Lagarde são também mais pessimistas do que as do Governo, que, aquando da apresentação do Orçamento do Estado para 2016 (OE2016), disse esperar que a economia crescesse 1,8% este ano.

O primeiro-ministro, António Costa, já admitiu, em entrevista ao jornal Público, que o PIB poderá crescer apenas pouco acima de 1% este ano.

A zona Euro deve desacelerar este ano para 1,7% este ano, depois de ter crescido 2% no ano passado. Para 2017, os técnicos de Washington antecipam nova desaceleração, com o PIB da região da moeda única a crescer apenas 1,5%.

Na zona euro há um risco que o FMI volta a apontar: o balanço dos bancos causa preocupações “em alguns países com sistemas bancários mais vulneráveis, como Itália e Portugal”. E insiste que “a crescente turbulência financeira e a retracção de capitais nas economias emergentes parecem ter-se tornado menos proeminentes, mas ainda permanecem”.

No relatório Perspectivas da Economia Mundial, divulgado nesta terça-feira em Washington, o FMI prevê que o PIB mundial avance 3,1% este ano e 3,4% em 2017, ao mesmo ritmo previsto em Julho. Mas há uma diferença importante: o crescimento dos Estados Unidos foi revisto em baixa para 1,6% este ano (quando a previsão era superior a 2%) e para 2,2% no próximo (também mais baixa).



04-10-2016
Fonte: Económico